maio 2007


Quando tinha 15 anos, esperava um dia ter um namorado… seria bom se fosse alegre e amigo. Quando tinha 18 anos, encontrei esse garoto e namoramos; ele era meu amigo, mas não tinha paixão por mim.

Então, percebi que precisava de um homem apaixonado, com vontade de viver, se que emocionasse… Na faculdade, saía com um cara apaixonado, mas era emocional demais. Tudo era terrível, era o rei dos problemas, chorava o tempo todo e ameaçava suicidar-se. Descobri então, que precisava de um rapaz estável. Quando tinha 25 anos, encontrei um homem bem estável. Sabia o que queria da vida, mas era muito chato: queria sempre as mesmas coisas – dormir sempre no mesmo lado da cama, feira no sábado e cinema no domingo. Era totalmente previsível e nunca nada o excitava. A vida tornou-se tão monótona, que decidi que precisava de um homem mais excitante.

Aos 30, encontrei um tudo de bom: brilhante, bonito, falante e excitante,mas não consegui acompanhá-lo. Ele ia de um lado para o outro, sem se deter em lugar nenhum. Fazia coisas impetuosas, paquerava com qualquer uma e me fez sentir tão miserável quanto feliz. No começo, foi divertido e eletrizante, mas sem futuro.
Decidi buscar um homem com alguma ambição, para com ele construir uma vida segura. Procurei bastante, incansavelmente…

Quando cheguei nos 35, encontrei um homem inteligente, ambicioso e com os pés no chão. Apartamento próprio, casa na praia, carro importado…solteiro e sem rolos! Pensei logo em casar com ele. Mas era tão ambicioso que me trocou por uma herdeira…

Hoje, depois de tudo isso, gosto de homens com pinto duro… E só!

Nada como a simplicidade…

(Carta anônima)

Recebi por e-mail, mas como eu gostaria de ter escrito! k

Anúncios

K- diz: to cortada

K- diz: o corte eh fundo e a hemorragia dolorida

K- diz: e eh lenta também

K- diz: mas vai passar… neh?

Te AMO Vini!!! diz: mas qm fez isso com vc??

-K- diz: eu mesma

-K- diz: minha cabeça doida

Te AMO Vini!!! diz: vc nao anda bem jah ah algum tempo neh??

-K- diz: aham

Te AMO Vini!!! diz: toh começando a fik preocupada contigo

-K- diz: eh q eu nunca chorei por causa disso, e as vezes o choro insiste em sair ai eu prendo, ai fico assim

Te AMO Vini!!! diz: mas chorar tirando q dah uma porçao de rugas faz bem

-K- diz: eh o inverno q ta piorando a situação

-K- diz: mas eu amo o inverno

Te AMO Vini!!! diz: pq??

-K- diz: eu fico mais sensível no inverno rsrs

Te AMO Vini!!! diz: nossa vc tah precisando de um namorado

-K- diz: hahahaha como se isso fosse mudar a minha vida rs

-K- diz: to precisando parar de ser idiota

Te AMO Vini!!! diz: nossa vc realmente estah mal hj heim..

-K- diz: rsrsrs soh um pokinho

Te AMO Vini!!! diz: amor te amo

-K- diz: eu tb linda

-K- diz: amei essa foto de vcs

Look through me because I am transparent (olhe através de mim porque eu sou transparente)

Ought to know me but why even know yourself (deve me conhecer, mas por que não conhece a si mesmo)

I’m beginning to need all that I can’t have (estou começando a precisar de tudo o que não posso ter)

I’m succeeding to speak like I’m fucking mad (estou falando como se estivesse ficando louco)

Looking at the autumn shade (olhando para a sombra do outono)

You are white and I am grey (você é branco e eu sou cinza)

Looking at the autumn shade…

The Vines

Há 1 ano essa bateu fundo.

Há 1 ano.

Como o tempo passa… e ao mesmo tempo não passa.

Causa angústia quando passa rápido;

Causa angústia quando não passa.

A.C.A.V.

O frio chegou, meu frio. E com ele chega todo o cinza, toda a melancolia, a saudade, meu lado obscuro, gélido, romântico, triste. Aquela dorzinha que teima em fazer chorar. Aquelas lágrimas que insistem em aparecer. Pensamentos, devaneios, sonhos congelados, lembranças, sentimentos que ardem e esquentam o corpo trêmulo.

É hora de fazer o lado negro vir à tona, as noites são mais longas. Lado negro? Sim, só se encontra o verdadeiro equilíbrio quando conseguimos lidar e consequentemente neutralizar as sombras que moram dentro da gente. Afinal, como o dia e a noite, a luz e as trevas, o verão e o inverno, nosso lado claro e nosso lado escuro existem e se complementam. É hora de introspecção, de recolhimento, de tocar em velhas feridas para termos certeza de que realmente cicatrizaram… e se não cicatrizaram, curá-las de uma vez. O tempo lá fora nos convida à isso, e se nós nos negarmos esse auto-exame, sofremos mais. O inverno serve para isso, para abrirmos o peito e descobrirmos o que ainda sangra.

Talvez o que ainda sangra nos faça sentir o calor do sangue que jorra do peito, e achamos que esse calor nos protege do frio, quando na verdade ele pode até causar essa sensação boa, mas também nos esvazia, nos mortifica, nos faz morrer aos poucos. A cicatrização é necessária, mesmo que sintamos um pouco do frio angustiante que novas perspectivas causem. Sempre temos medo frente ao novo.

O que deve realmente nos esquentar e nos manter vivos e esperançosos no inverno é o nosso próprio calor, nossa paixão pela vida, nossa alegria ainda que um pouco apagada, nossos sentimentos de amor pelos entes queridos. Ficarmos mais próximos física e espiritualmente das pessoas que amamos, para que o frio não congele nossos corpos e nossos corações.

k

Não me perca de vista, não deixe que eu desapareça de sua vida antes de precisar de mim. Não deixe que eu vá embora sem antes saber quem sou e quais são os meus sonhos, quem sabe são os mesmos sonhos seus. Não me perca de vista nunca, mesmo que não esteja interessado hoje, pode ser que um dia, tenha saudades de mim. Não me deixe seguir sozinho nesta estrada sem antes saber que gostaria de ir também, sem antes descobrir que é exatamente o caminho que sempre procurou.

Não me perca, talvez só eu possa ser para você a esperada chegada, o tão sonhado caso de amor, a linda e infinita história e a realidade mais sublime de se viver.

Mas não me perca,

deixa eu ficar e esperar por você,

esperar que você me chame,

que você precise da minha companhia,

que você tenha por mim todo o seu carinho,

que você de repente descubra que gosta de mim.

Não me perca…

nunca.

 

Existem pessoas que nasceram para se meter em frias. Eu sou uma delas.

É impressionante e até engraçado, parece filme: quando a mocinha acha que as coisas vão ficar bem, PÁ! Toma na cara de novo.

Queria saber se existe algo que eu possa fazer para parar com isso, ou pelo menos, se não dá pra evitar os crashes, diminuir os efeitos das decepções. Uma macumba, talvez???

Hehehehehehehe. A gente sempre quer soluções rápidas e indolores.

Eu penso que devo mudar alguma coisa aqui dentro, mas pô, eu já mudei tanto! Realmente eu não consigo visualizar um modo de escapar dessas frias. Às vezes acho que não tem jeito, sou fadada a isso. “It is your destiny”, diria Darth Vader.

Bom, se eu pelo menos soubesse o porquê disso tudo talvez ficasse mais fácil de encarar. Vai ver que eu fui uma messalina de marca maior na encarnação anterior e tô pagando meus pecados nessa. Sei lá, uma alcoviteira, destruidora de lares. Hum. Pois é…. isso deveria me confortar?

k

O homem estava sentado na escrivaninha, em frente ao computador, completamente excitado.

Havia alguns meses ele tinha entrado num site de relacionamentos e logo teve sorte, conheceu um garoto lindo e interessante. Naquele dia o garoto estava particularmente atrevido, e a conversa entre os dois deixava o homem cada vez mais desejoso de se encontrarem.

Duas semanas depois, o primeiro telefonema. O homem suava, tremia, gaguejava. Ficaram durante horas no telefone, e a conversa só não se prolongou porque a esposa do homem chegou em casa depois de um dia cansativo no trabalho, seguido de uma ida rápida à clínica de estética para uma limpeza de pele. O casal tinha 50 e poucos anos de idade, era feliz (pelo menos aparentava) e muito rico.

O garoto disse ao homem praticamente tudo sobre sua vida: tinha 25 anos, estava no último ano de faculdade e trabalhava na área. Sim, as fotos no site eram verdadeiras, gostava muito de malhar, fazia musculação havia quase dez anos. Morava sozinho, e não muito longe do homem. Combinaram, finalmente, um encontro para dali a 1 mês, porque o homem viajaria a negócios ao exterior por algumas semanas.

A viagem corria bem, regada a e-mails e conversas picantes ao telefone com o garoto. O homem nem reclamava de trabalhar, e após o expediente fechava-se no quarto de hotel alegando aos colegas de trabalho que estava muito cansado. Ora, a esposa, sozinha em casa, e com a desculpa dada à si mesma de organizar as coisas do marido, encontrou um papel dentro de uma das gavetas da escrivaninha, com uma palavra e um número escritos em vermelho, bem como um número de telefone e um apelido carinhoso suspeito. A curiosidade foi maior que o medo, ligou o computador.

O homem voltava para casa, não via a hora de almoçar, conversar amenidades com a esposa e entregar-lhe umas encomendas, e depois, com a desculpa de visitar um cliente, encontrar-se com o seu garoto. Ao chegar em casa, reparou um carro estranho estacionado na frente do portão. Entrou na garagem e subiu as escadas em direção ao interior da casa. Ouviu vozes no escritório. Olhou pela porta entreaberta e quase desmaiou: sua mulher, nua, no chão, e sobre ela… o garoto.

Ele ficou ali, imóvel. A esposa, tendo percebido a presença do marido, olhava para ele, o olhar faiscando de raiva e prazer. Mas o homem não conseguia tirar os olhos do garoto, do corpo dele, daquela bundinha firme…

k

Ponho os meus olhos em você, se você está – Dona dos meus olhos é você, avião no ar – Um dia pra esses olhos sem te ver, é como o chão do mar – Liga o rádio à pilha a TV, só pra você escutar – A nova música que eu fiz agora – Lá fora a rua vazia chora

Os meus olhos vidram ao te ver, são dois fãs, um par – Pus nos olhos vidros pra poder, melhor te enxergar – Luz dos olhos para anoitecer, é só você se afastar – Pinta os lábios para escrever, a tua boca em minha – Que a nossa música eu fiz agora, lá fora a lua irradia glória

E eu te chamo, eu te peço vem – Diga que você me quer, porque eu te quero também

Faço as pazes lembrando – Passo as tardes tentando lhe telefonar – Cartazes te procurando – Aeronaves seguem pousando sem você desembarcar – Pra eu te dar a mão nessa hora – Levar as malas pro fusca lá fora – E eu vou guiando, eu te espero vem – Siga onde vão meus pés, que eu te sigo também

Porque eu te amo, e eu peço vem – Diga que você me quer, porque eu te quero também

Nando Reis