setembro 2007


É muito bom quando, através de veículos como este no qual vos escrevo, podemos divulgar coisas úteis, e não apenas babaquices que não acrescentam em nada para nossa evolução mental.

Tenho muito orgulho em dizer para meus leitores que encontrei uma solução eficaz para aqueles momentos desagradáveis em que, sentados na privada, lidamos com as inconveniências de uma prisão de ventre, onde o cocô, indeciso, não sabe se vai ou se volta.

Segundo minha querida amiga Me, “Você senta na privada; se você ver que tá duro de sair, você começa a fazer movimentos circulares com o quadril, porque assim faz com que o intestino mande a merda pra fora, sabe? É como se você tivesse tirando um parafuso”.

Questionei sobre a eficácia do procedimento, e Me respondeu: “E funciona Krol, você tem que ver meuuu! É um alívio, não fica aquela sensação de “ta faltando algo pra sair”.

Olhem que maravilhoso. Obrigada Me.

Adoro ser útil na vida das pessoas.

k

Anúncios

Casal descobre ser amante um do outro na web e se divorcia

Um casal bósnio está se divorciando, depois de descobrir que um traía o outro em chats na Internet. Detalhe: eles começaram o relacionamento virtual usando pseudônimos, e só descobriram a verdade quando combinaram um encontro real com os “novos parceiros”.

Sana Klaric, 27 anos, e seu marido Adnan, 32, usavam os nomes de “Sweetie” e “Prince of Joy” em salas de bate-papo. Conheceram-se e iniciaram uma relação, confidenciando-se mutuamente os problemas que tinham em seu casamento. Os dois, de acordo com reportagem publicada no site Metro.co.uk, estavam convencidos de terem finalmente encontrado sua alma gêmea.

Então, resolveram marcar um encontro real para se conhecerem e descobriram a verdade. Agora, o par está em processo de divórcio, e um acusa o outro de ter sido infiel.

“De repente, eu estava apaixonada, era maravilhoso, parecia que ambos estávamos amarrados no mesmo tipo de casamento infeliz”, contou Sana. “Depois, me senti tão traída”, disse.

Adnan, continua sem poder acreditar no que aconteceu. “É difícil pensar que Sweetie, que escreveu coisas tão maravilhosas para mim, é na verdade a mesma mulher com quem me casei e que, por anos, não foi capaz de me dizer uma única palavra agradável”.

Redação Terra

 

HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA!!!

k

 

k

“ A afinidade é dos poucos sentimentos que resistem ao tempo, e aos depois

A afinidade não é o mais brilhante, mas o mais sutil, delicado e penetrante dos sentimentos.

O mais independente.

Não importa o tempo, as ausências, os adiamentos, as distâncias, as impossibilidades.

Quando há afinidade, qualquer reencontro retoma a relação, o diálogo, a conversa, o afeto, no exato ponto em que foi interrompido.

A afinidade não precisa do amor.

Pode existir com ou sem ele.

Independente dele.

A quilômetros de distância.

Na maneira de falar, de escrever, de andar, de respirar.

É singular, discreta e independente, porque não precisa do tempo para existir… afinidade é a adivinhação de essências não conhecidas nem pelas pessoas que as têm.

Afinidade é retomar a relação no ponto em que parou, sem lamentar o tempo da separação.

Porque tempo e separação nunca existiram.

Foram apenas a oportunidade dada (tirada) pela vida, para que a maturação comum pudesse se dar.

É a expressão do outro sob a forma ampliada e refletida do eu individual aprimorado.”

(Arthur da Távola)

cara…

meu…

bicho…

QUE MUNDO DOIDO…

tem hora que nada pega, não pega nada…

tem hora que a revira-volta, de volta em volta que o mundo anda…

não sei o que eu entendo, o que eu entendo não facilita, o que eu quero não existe…

tem hora que eu quero tudo, tem hora que o tudo eu não quero, tem hora que o tudo me quer de repente…

…e agora?

k