O homem estava sentado na escrivaninha, em frente ao computador, completamente excitado.

Havia alguns meses ele tinha entrado num site de relacionamentos e logo teve sorte, conheceu um garoto lindo e interessante. Naquele dia o garoto estava particularmente atrevido, e a conversa entre os dois deixava o homem cada vez mais desejoso de se encontrarem.

Duas semanas depois, o primeiro telefonema. O homem suava, tremia, gaguejava. Ficaram durante horas no telefone, e a conversa só não se prolongou porque a esposa do homem chegou em casa depois de um dia cansativo no trabalho, seguido de uma ida rápida à clínica de estética para uma limpeza de pele. O casal tinha 50 e poucos anos de idade, era feliz (pelo menos aparentava) e muito rico.

O garoto disse ao homem praticamente tudo sobre sua vida: tinha 25 anos, estava no último ano de faculdade e trabalhava na área. Sim, as fotos no site eram verdadeiras, gostava muito de malhar, fazia musculação havia quase dez anos. Morava sozinho, e não muito longe do homem. Combinaram, finalmente, um encontro para dali a 1 mês, porque o homem viajaria a negócios ao exterior por algumas semanas.

A viagem corria bem, regada a e-mails e conversas picantes ao telefone com o garoto. O homem nem reclamava de trabalhar, e após o expediente fechava-se no quarto de hotel alegando aos colegas de trabalho que estava muito cansado. Ora, a esposa, sozinha em casa, e com a desculpa dada à si mesma de organizar as coisas do marido, encontrou um papel dentro de uma das gavetas da escrivaninha, com uma palavra e um número escritos em vermelho, bem como um número de telefone e um apelido carinhoso suspeito. A curiosidade foi maior que o medo, ligou o computador.

O homem voltava para casa, não via a hora de almoçar, conversar amenidades com a esposa e entregar-lhe umas encomendas, e depois, com a desculpa de visitar um cliente, encontrar-se com o seu garoto. Ao chegar em casa, reparou um carro estranho estacionado na frente do portão. Entrou na garagem e subiu as escadas em direção ao interior da casa. Ouviu vozes no escritório. Olhou pela porta entreaberta e quase desmaiou: sua mulher, nua, no chão, e sobre ela… o garoto.

Ele ficou ali, imóvel. A esposa, tendo percebido a presença do marido, olhava para ele, o olhar faiscando de raiva e prazer. Mas o homem não conseguia tirar os olhos do garoto, do corpo dele, daquela bundinha firme…

k

Anúncios