Eu e essa minha mania ridícula de sempre querer provar algo a alguém antes de provar a mim mesma. Sempre foi assim, sempre dei muito valor para o que os outros pensam da minha pessoa, das minhas atitudes e pouco valor para o que eu penso sobre mim.

Vivemos em sociedade, ok, eu não posso simplesmente sair por aí dizendo e fazendo tudo o que eu quero porque não estou sozinha no mundo e nem sou a dona da verdade. Mas o que acontece é que eu simplesmente vou para o outro extremo, o da auto-sabotagem, de muitas vezes não confiar em mim mesma e no meu taco, de não entender que, assim como todas as outras pessoas, eu tenho qualidades, virtudes, coisas nas quais eu sou boa, etc.

E os extremos não são legais. Especialmente para mim, que acredito que a energia de Deus é o Equilíbrio, estar em um extremo é muito prejudicial. Diria que o próprio diabo mora nos extremos (se eu acreditasse em diabo). Portanto, eu PRECISO encontrar o Equilíbrio nessa questão. Acho que até por isso que eu estou escrevendo, para ficar registrado: Eu preciso acreditar mais em mim, em todos os aspectos. Preciso fazer jus a essa vida aqui. Aproveitar os instantes em que estou aqui respirando e utilizar mais essa energia a meu favor – mas não com egoísmo.

Sim, durante muto tempo eu fui egoísta, mas tenho a dizer em minha defesa que esse egoísmo foi construído pela dor da rejeição que muitas vezes me encheu o saco e me fez criar um muro a minha volta para me “proteger” das pessoas más. Hoje em dia eu sei que esse egoísmo faz parte do tal do extremo, e que eu tenho que equilibrá-lo: Não preciso destruí-lo, mas apenas colocá-lo num lugar em que não se torne algo perigoso para mim e para os outros.

Os outros. Pensei novamente nas outras pessoas.

Não há como viver sem pensar nos outros. E também não há como viver sem pensar em mim mesma.

Equilíbrio. Esse é o caminho, a verdade e a vida. Deus.

k