novembro 2010


Meu sobrinho, há quase 1 ano, entrou com minha cunhada numa pet shop e se apaixonou por um camundongo.

A paixão, o apreço, o afeto, são sentimentos bons e que devem ser estimulados principalmente numa criança.

Resolveram então comprá-lo.

O compromisso, quando firmado, sugere que exista cuidado e responsabilidade pelo outro. O compromisso acarreta mudanças de rotina, materiais e abstratas.

Obviamente que,  junto com a compra do animal, também foram comprados itens para que ele sobrevivesse e se desenvolvesse.

Constituição, art. 225, § 1º, inc. VII – proteger a fauna e a flora, vedadas, na forma da lei, as práticas que coloquem em risco sua função ecológica, provoquem a extinção de espécies ou submetam os animais a crueldade.

Depois de algumas horas, com o animal devidamente instalado em casa, meu sobrinho decidiu que seria interessante comprar outro ratinho, irmão do primeiro, para lhe fazer companhia. Mais ou menos um mês depois, os animais não exerciam mais fascínio e meu sobrinho desinteressou-se por eles.

Os roedores são os animais domésticos que mais são abandonados pelas pessoas.

Foi sugerido que se desfizessem dos camundongos, sem a crueldade do abandono, mas entregando a alguém que estivesse disposto a adotá-los.

O abandono de animais é no mínimo um ato cruel e desumano. É ausência de qualquer forma de compaixão, bom-senso, responsabilidade e caráter. É praticamente uma sentença de morte a um ser vivo. http://sitequente.com/frases/animais.html

Eu resolvi adotá-los. Eu sei que não são brinquedos. Sei que devo limpar suas gaiolas uma vez por semana, comprar comida e serragem. Mantê-los em ambiente de temperatura agradável e longe do frio e do calor excessivos. Resolvi exercer compaixão por seres tão pequenos e indefesos. É o mínimo que eu posso fazer.

Animais, principalmente os nascidos em cativeiro, são seres completamente indefesos. Não têm pecado, não têm maldade. Estão à mercê dos seres humanos, que os criam e modificam geneticamente, desenvolvendo novas raças POR CAPRICHO.

Há algumas semanas, uma amiga ofereceu um saco de ração para roedores já aberto. Segundo ela, sua filha encontrou um hamster na rua em estado lastimável, provavelmente abandonado pelos donos e atacado por algum gato/cachorro. Apesar de recolher e levar o animal ao veterinário, que o tratou, o hamster não resistiu aos ferimentos.

Não sei se você, que já abandonou ou que planeja abandonar um animal, é suficientemente inteligente para saber que:

Animais são seres que sentem dor, frio, fome, ansiedade, medo. Você já sentiu alguma dessas sensações? Com certeza sim. Qualquer pessoa com o mínimo de inteligência sabe que são sentimentos bem desagradáveis.

Antes de maltratar, humilhar, abandonar, coloque-se no lugar do animal, ou seja, TENHA COMPAIXÃO. Sabe aquela compaixão que Jesus Cristo e outros grandes mestres ensinaram? Essa mesma.

É muito fácil estufar o peito e se dizer cristão. Colar um adesivo com a imagem de Maria ou com frases sobre Jesus no carro. Frequentar a igreja todo domingo. Isso qualquer IDIOTA pode fazer. Não seja mais um. PRATIQUE O QUE VOCÊ DIZ QUE PRATICA. TORNE-SE DIGNO DE SER CHAMADO DE FILHO DE DEUS.

k

Que se portem bem as pessoas

Porte-se como uma dama, delicadeza e sorrisos

Porte toda uma vida e as experiências num olhar e quando lhe perguntarem sobre ela, porte-se como se nada aconteceu.

Portando conteúdo que sai e se renova a todo momento

E não se porte como alguém que não sabe o que faz

Não se porte dessa forma porque você pode se machucar

Será que existe alguma noção de como se portar aí nessa mente?

k

 

Tem coisas que acontecem na vida e que deixam marcas. Algumas  vezes, não muito agradáveis. Dependendo da intensidade dos fatos, o processo para fazer essas marcas desaparecerem, ou, pelo menos, deixarem de incomodar é lento e chato.

Atualmente me encontro assim. Há um tempo atrás, vi-me dentro de uma situação interessante: Tudo parecia incrível, eu estava cercada de pessoas legais, fazendo algo que me deixava feliz, me divertindo e me sentindo como sendo parte de algo que esperava que seria grande e belo.

E de repente, do nada, percebi que tudo aquilo era ilusão.

Pior, além de perceber que era falso, me vi no meio de uma rede de intrigas e fofocas sórdidas, cujo objetivo era apenas maldade, e sem ter movido uma única palha sequer para estar no meio de tudo aquilo. Deixei as pessoas que pensei que eram legais e as tarefas que tanto me satisfaziam e me faziam sentir útil com tristeza e indignação. E até hoje, tendo conquistado tantas coisas depois do episódio ruim, sinto muita mágoa do que aconteceu.

Não costumo guardar rancores, isso é natural em mim. Nunca precisei me esforçar para esquecer coisas ruins que me fazem, e adoro ser assim. Mas infelizmente admito que está sendo difícil, muito difícil esquecer tudo aquilo. A ferida não cicatriza, não fecha.

E então me peguei pensando nisso: Se ainda não fechou, é por alguma razão. Mas que razão será essa? Por que cargas d’água isso ainda dói tanto? Eu só quero esquecer isso tudo. Só quero esquecer que fui magoada de uma forma tão intensa e injusta.

Well…

k