julho 2006


Minha amiga me contou que dois videntes, de diferentes lugares e também de maneiras diferentes, previram as mesmas coisas maravilhosas para ela. Achei muito legal.

A última pessoa com quem eu me consultei jogou I-Ching para mim. Disse que o meu namorado iria me trair e a gente terminaria o namoro. Isso faz quase 3 anos, e até agora não aconteceu nada.

Acho que não aconteceu porque eu disse a ele o que a vidente tinha me falado. Vai ver que então ele, com medo de me perder, não me traiu. Mas por que então a moça viu que ele me trairia se não traiu? O certo seria ela prever que ele não me trairia! Mas aí eu não diria nada a ele, e ele talvez me traísse.

Ah, sei lá.

Enfim, torço pela minha amiga. Duas pessoas que não se conhecem disseram praticamente as mesmas coisas para ela, coisas boas! Vai dar tudo certo, ela merece.

Como é que eu sei que vai dar certo? Ah. Bom, ela não está namorando no momento, e nenhuma das duas pessoas com quem ela se consultou jogaram I-Ching.

k

 

(Edinei é uma garota legal, honesta, limpa, inteligente, que às vezes é possuída pelo demônio e faz coisas que não gostaria de fazer).

Aaaiiiiiiiii!!!

Que dor! Será que eu vou conseguir dormir? Bom, tomei o analgésico agora…

Todo mundo falando no meu ouvido “Você é louca, não pode ir passando a mão assim no cachorro, blá, blá, blá”, mas porra, todo dia eu falo oi pra ele, fico com tanta dó dele ali sozinho…

Nunca vi ninguém levá-lo pra passear, às vezes tá um friozão e ele naquele chão frio, não tem nem casinha…

Vai ver que ele mordeu minha mão pedindo socorro. Quer se livrar daquelas pessoas horríveis que o maltratam.

Deveria ser proibido vender animais para pessoas mentalmente prejudicadas. As pessoas teriam que fazer testes para adotar um animal, assim como com crianças. Lógico, todos somos seres vivos!!!

E deveria também… existir uma Associação de Huskys Siberianos em Perigo, tipo de apoio à classe mesmo, tipo um sindicato. Eba!!! Aí eu ligaria lá, denunciaria aqueles idiotas e eles invadiriam a casa, dariam, sei lá, uma multa, um esporro, que seja, e levariam o lindinho embora… para um lugar maravilhoso!!!

… Nossa, esse analgésico age rápido, não?! Nem tô sentindo mais dorrr. Naverdadi não sinto mais omeu corpo… amém.

 

Dia 11/07, à 00:32

* Levantar às 14:00 há 1 semana era horrendo, tal era a culpa que eu sentia por ser tão inútil. Porém, hoje foi normal, já que daqui a alguns dias começarei no novo emprego. Até queria ficar mais tempo na cama, mas minhas necessidades fisiológicas não permitiram.

* Agora, como órfã de Bia Falcão, busco apoio emocional em Helena, de Páginas da Vida. Éca. Como odeio as novelas do Maneco.

* Depois de descobrir Nescau Cereal (por intermédio do Pedro), minha relação com Sucrilhos nunca mais será a mesma.

k

A (de joelhos) – Quer saber o que houve?

B – Quero.

A – O que eu ganho em troca?

B – Você está abusando da sorte. Eu não o matei, você não acha que já está de bom tamanho?

A – Hahaha. Eu permaneço com vida até acabar de contar, depois você atira em mim. Não… eu quero algo em troca.

B – Está bem. Diga o que quer, e rápido.

A – Descarregue o revólver.

B – O que…

A – DESCARREGUE!

B (Agachando) – Não grite comigo… ou eu estouro seus joelhos!!! Te torturo lentamente até me contar!

A – Descarregue a arma. Atire as balas bem longe, todas. Na minha frente.

B – Está bem.

A – Ai… aiaiaiaiaiaiai!!!

B – O que foi???

A – Aaaaaaaaaaaa!!!

B – O que está havendo? Se você estiver blefando…

A (ofegante) – N… não… estou! Não estou!

B – Me diga agora o que está acontecendo ou não descarregarei a arma!!!

A – Eu… eu tenho… um aneurisma. Está cada dia pior. Preciso… das minhas pílulas!

B – Onde estão?

A (ofegante)

B – ONDE ESTÃO?

A – Es… estão na minha maleta. Ali (apontando), você jogou ali…

B – NÃO SE MEXA! Se você estiver blefando…

A – AAAAAAAAAAAAA!!!

B (andando de costas) – Nem um movimento!!! (abre a maleta)

A – O vidro azul… o azul…

B – Aqui… azul.

A – R… rápido, rápido…

B – Aqui, aqui está!

A (tomando um comprimido) – Ah… agora sim. (respirando fundo)

B – Vamos, agora diga.

A – Descarregue a arma.

B – Pronto… (descarregando) pronto. Diga!!! O que aconteceu???

A – Lembra daquela vez, em Xangai, quando a gangue dos Homens-Dragão…

B – Sim, sim! Eles destruíram a sede da Organização…

A (ofegante) …E pouparam duas vidas.

BUma vida. A minha.

A – Isso é o que você pensa. Na verdade, outra pessoa sobreviveu.

B (estupefato) – O q… quê??? Outra pessoa sobreviveu? (segurando A pela gola) Quem? QUEM???

A – Ah… ah… aaaaaaaaaaaaargh!!!

B – O que foi??? O que foi???

A (contorcendo-se no chão) – AAAAARGH!!! Ah, como dói!!! Vai estourar, meu peito… vai estourar!!!

B – O QUE FOI DESSA VEZ??? Você está brincando, está brincando, eu vou te matar!!!

A (chorando) Não!!! Não, por favor, não me mate!!! Eu sofro de angina, o remédio… está na p-pasta… por favor me ajude!!!

B – VOCÊ ESTÁ BRINCANDO, SEU MALDITO FILHO DA MÃE!!! (sai à procura das balas)

A – NÃÃÃÃÃO, POR FAVOR, EU ESTOU DIZENDO A VERDADE!!! Olhe… dentro… DENTRO DA PASTA! Há… um… atestado do médico… você não pode me matar, nunca descobrirá se me matar!!!

B (retornando e esganando A) – Se você estiver mentindo… eu não te mato, mas te deixo inútil, está ouvindo??? VAI DESEJAR TER MORRIDO!

A – Argh… solte-me…

B (dirigindo-se à maleta) Onde está esse papel, onde está???

A – Aí, aí na frente!!! Timbrado…

B (lendo) – Não acredito, seu desgraçado. Angina e aneurisma… o que você ainda faz respirando???

A – O… remédio… por favor… o vidro amarelo… aaaaaargh!

B – Aqui, aqui!!! Tome logo essa porcaria!!!

A (passados dois minutos) – Ah… está bem, está bem. (grande suspiro) Duas pessoas sobreviv…

B – Sim, sim! Quem, QUEM SOBREVIVEU?

A – Nikito.

B – NIKITO??? NÃÃÃÃÃÃÃOOOOO!!! Não, não pode ser!!!

A – Sim. Ele fugiu, incógnito.

B – Toda aquela gente que eu matei… por ele!!! E ele estava vivo… MAS POR QUE NÃO VEIO ATÉ MIM, POR QUÊ??? ONDE ELE ESTÁ AGORA???

A – Não parece óbvio o porquê de não ter ido até você???

B – O segredo…

A – Sim, ele tem o segredo. Por isso fugiu.

B (ajoelhando) – Nikito… por quê??? POR QUE, MEU DEUS??? Onde ele está, ONDE???

A – Ele foi… AAAAAAAAAAAIII!!! AAAAAAAIIIII!!! Argh! ARGH! OH DEUS!!! AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAARGH!!!

B – Não, não, NÃO, O QUE FOI??? O QUE FOI??? (histérico)

A – Argh! (contorcendo-se muito) Ajude-me! AJUDE-ME, POR FAVOR!!!

B – DIGA O QUE FOI DESSA VEZ!!!

A – Ga…ga…

B – GA O QUE??? FALE!!!

A – Ga… gases!

B – GASES???!!!

A – S… sim… gases!!! Oh, me ajude!

B – VÁ PARA O INFERNO!!! (esgana A até a morte) MORRA!!! MORRA, SEU CONDENADO DE MERDA!!! FODA-SE O NIKITO!!! AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA!!!

k

Ontem 06/07 – PlayTV – Saca-Rolha

M. Weickert pergunta ao biólogo:

– se os camarões sentem prazer no ato sexual

– se existem peixes gays.

Ótimo. Agora já posso morrer.

k

AI, AI, AI, o que eu tô fazendo aqui nessa dimensão, nesse planetinhaaaa… Nossa, como meu maxilar DÓÓÓIIII de tanto ranger os dentes de noite, PUTA TENSÃO, não consigo mais fechar a boca!!!

O QUE SERÁ QUE ESTÁ ACONTECENDOOOOOOO???

k

O inverno deveria ser em preto-e-branco, e todas as pessoas deveriam mudar-se para zonas urbanas cheias de galpões antigos e fábricas antigas, de tijolos aparentes. Seria proibido fazer comidas ruins e todas as noites haveria sopas fumegantes. As grandes e quentes paixões deveriam aparecer sempre nessa época.

Adoro o inverno, aquele bem rigoroso, quando as pessoas vestem tantas, mas tantas roupas, que a aparência acaba não contando, e o que vale mesmo são as idéias e quanto calor a pessoa tem para dar.

k