AMIGA: Ahhh bebê fez a cirurgia!

EU: Ahh fiz! Que engraçado, viu.

AMIGA: Como assêm?

EU: Então, era pra eu chegar no hospital às 5 da matina.

Cheguei às 6.

rsrs

Daí que tive que ficar caçando com quem falar… tipo, pelo que eu fiquei sabendo, as pessoas responsáveis pelas internações não tinham chegado ainda.

Eu falei “caralho, isso porque cheguei atrasada!”

Eu sei que tomamos um chá de cadeira até eu ser atendida, e fazer a internação. Aí cheguei no quarto, a enfermeira veio falar oi e já me mandou ficar nua.

NUA MANO.

Falei “mas eu vou operar o joelho!”

Ela disse “tem que ficar pelada, bem.” E me deu aquele aventalzinho SÉCHI que fica com a bunda de fora. Coloquei, deitei na cama e fiquei esperando até chegar um enfermeiro pra me buscar.

Tinha uma rampinha perto do meu quarto, ele disse “então, a maca está na beira da rampinha, você vai deitada nela, mas preciso que você suba a rampa andando senão não vou conseguir aguentar subir a rampa com você na maca.”

¬¬

Falei “ok”. Fechei meu ROBE com dignidade e fui andando até a maca. Deitei-me, minha mãe veio atrás de mim e ficou falando tchau… acho que ela falou tchau umas 14 vezes.

Daí fui batendo os pés na barriga (espero) do cara, porque eu não cabia na maca. Pedi desculpas.

Então ele me passou pra uma enfermeira, e eu continuei batendo os pés na barriga dela. Apesar que ela era um pouco mais baixa, então pode ter sido que eu chutei-lhe os seios.

Pedi desculpas.

Chegamos na sala de cirurgia e um homem belo veio falar comigo. Tipo, eu acho que era, tava sem óculos.

– Oi, eu sou seu anestesista!

– Oi, desculpa mas eu não consigo te enxergar direito!

E perguntou como eu estava, eu disse que estava muito nervosa, era a primeira vez, que ele podia ter me mandado flores antes de me ver nua (mentira) blablabla. Então ele disse que ia me apagar.

Me colocaram na mesa de cirurgia, tinha ele e algumas enfermeiras, uma delas tava de mimimi com ele. Ele perguntava “tá brava hoje porque?”, e ela fazia cara de bosta. Pensei “ele realmente é bonito e fica xavecando as enfermeiras… que clichê de merda”. E ela sem cerimônia abaixando meu ROBE até a barriga pra colocar os eletrodos em meu peito.

Eis que aparece a cabeça do meu médico no meio do anestesista e de outra enfermeira, eu quase gritei “OOEEEE mais alguém pra ver meus peitos”?

O anestesista furou meu braço, me perguntou da tatuagem, eu falei que tinha sido cobaia e que ele ainda não tinha visto a do cóccix, e acho que foi a última coisa (coerente) que falei. Safadjeenho, colocou remédio sem eu perceber! Só me lembro como se fosse um sonho, eu sentada, a enfermeira falando comigo (não lembro o que) e uma picada nas costas (a anestesia, infelizmente HAHA!)

Então acordei, rica, na sala de recuperação, morta de sede. Pedi um gole d’água, a enfermeira negou. Maldita.

Tava morrendo de sono, adormeci, só que ficava acordando COM MEU PRÓPRIO RONCO. Sem movimentos nas pernas e deitada de barriga pra cima, não tinha como me virar!

Só sei que consegui dormir e acordei com um ronco… mas dessa vez de uma mulher que colocaram do meu lado. Foda… bom, daí me levaram pro quarto… e, claro, o enfermeiro DESCEU A RAMPINHA né. Me levou até a cama, minha mãe lá do lado, sorrindo.

Foi isso… fiquei a tarde inteira lá, comi pra caramba, depois passei mal, quase briguei com o chefe da enfermaria porque queria drogas pra dormir, ele negou, consegui dormir, e tive alta às 18h.

E claro, tivemos outro problema administrativo porque diziam que minha guia de alta estava vindo, mas não vinha. Meu pai conseguiu achar a guia, assinou e eu fui embora, linda e rica… Mas puta que pariu, que sufoco! Muita correria, credo.

AMIGA: Mas agora você está bem, em casa, belíssima.

EU: Sim… num tédio mortal =/

k

Anúncios