Não, não mudei meu status no Facebook.
Não mudei, porque “status de Facebook” não significa nada.
Porque, assim como uma aliança no dedo, como mais um sobrenome depois do meu, como um contrato assinado, é tudo apenas convenção.
Porque com tudo isso, com status de “relacionamento sério” ou “casada”, com aliança, com assinatura nova, eu posso muito bem “desonrar” minha condição a qualquer hora.

Porque nada disso realmente importa, nem nunca importou.
Porque o que realmente importa, não é meu status de Facebook dizendo que me relaciono com o cara X. Isso não quer dizer que eu não o assumi. O que importa é que o cara X é AQUELE, o meu cara. A pessoa que é parceira, amiga, amante, e com quem eu mais gosto de estar na vida. A pessoa dos papos-cabeça, das risadas e dos insights secretos, que só nós entendemos.
Das discussões construtivas e das brincadeiras mais ridículas, que viram gargalhadas de doer a barriga. Dos desafios feitos constantemente um ao outro para que a gente evolua. A pessoa do amor que transborda e nos faz querer ser melhores, do sexo ora doce, ora cheio de tesão. O cara de quem eu cuido quando fica doente, que ponho no colo quando está mal, que abraço apertado sem motivo algum.

Se um dia eu resolver mudar o status em relação ao cara X, não vai ser nada perto do nosso cotidiano cheio de cumplicidade, nem da rotina que é mudada quando começa a pesar na cabeça. Um status não é nada perto do que eu sou ao lado do meu cara, e do que ele é junto de mim.

Não aos status, não às convenções, não aos padrões impostos. Não à hipocrisia. Não às aparências. Não aos simbolismos sem sentido, às palavras vazias, aos gestos dissimulados.

E que se foda o Facebook =)

k

Anúncios