Acredito que cada um de nós está aqui nessa vida para aprender coisas. E também acredito que nascemos, ou adquirimos “dons”, vocações diferentes, que acabam por nos definir como pessoas e que definem nossos caminhos, profissionais e pessoais. Somos todos diferentes, portanto é obvio que são diferentes as coisas que nos motivam.
Não saio por aí criticando alguém que resolveu estudar Moda porque a pessoa deveria se preocupar em ajudar pessoas estudando Medicina. Só porque a Medicina, o Direito, são profissões que podem salvar vidas não quer dizer que todos devam exercer estas profissões. Quem nasceu ou adquiriu vocação para isso, que estude, que trilhe um caminho em cima disso, e assim seja com todo o resto. Acredito que devemos nos dedicar a algo que realmente nos dê prazer e realização, a algo que nos faça evoluir, a desenvolver nossos talentos, a ir atrás do que achamos que fazemos de melhor.
Portanto, se existem pessoas que preferem ajudar animais do que outras pessoas, qual é o problema? Deixem que façam aquilo que sabem fazer de melhor. Deixem que sejam cada vez mais praticados a caridade, o amor incondicional, a humildade, e que se foda quais são os objetos que recebem estes sentimentos! Porque está cheio de gente que adora ajudar gente, que vive para isso, que se dedica, que tira pessoas das ruas, que lhes dá de comer. Pessoas que têm vocação para ajudar outras pessoas e o fazem como ninguém.
Ao invés de criticar o objeto pelo qual alguém demonstra sentimentos tão superiores, critiquem pessoas que nutrem sentimentos inferiores.
Nós humanos podemos ser mais “evoluídos” em termos de, sei lá, intelecto, funções cerebrais e o kct a 4, mas todos nós, homens e animais, estamos aqui no mesmo barco, vivendo dos mesmos recursos. Aos olhos do planeta somos todos iguais. Se essa merda aqui explodir um dia, todos nós explodiremos junto. Não é preciso ser nenhum Einstein para saber que cada vez mais a humanidade sofre por desdenhar a Natureza e por tratar os animais como inferiores.
Quer criticar, julgar? Vai criticar e julgar aquele filho-da-puta daquele político que vive às custas do seu dinheiro. Se eu quero ajudar animais ao invés de gente, pode ter certeza que estou contribuindo muito mais para a evolução da humanidade do que você.

k

Anúncios