1-
Fazia tempo que não curtia tanto um show como curti o último em que fui. Meu dia não foi dos melhores, acordei uma bosta, trabalho entediante (salvo uma ou outra coisa), podia ter amuado, bodiado, mas fui contra os sentimentos, e naquela hora em que eu tava gritando cantando pulando olhando pras caras dos caras em cima do palco eu soube que estava no lugar e hora certos.

Só que uma pessoa que estava comigo não estava. E eu queria tanto que ela estivesse, que curtisse, que cantasse gritasse. Não rolou. Fiquei triste, fiquei puta, mas fiquei feliz pra caralho, o show foi muito bom.

2-
Sempre tive vontade dele, desde que o vi pela primeira vez. Mas a vida não permitiu que o desejo se concretizasse, por várias razões. Deu tudo certo apesar de não ter dado certo (e talvez o meu certo não seja o certo da vida).

Depois de um tempo eu o vi e ele me viu e podíamos concretizar o desejo novamente, mas a vida novamente não permitiu. Acho que o meu certo é errado (neste caso). E hoje tá tudo certo novamente comigo, e tudo certo novamente com ele. Na verdade não sei se é “novamente” – apenas está tudo certo (ou errado?).

3-
Depois de anos de inconclusões a meu próprio respeito e a respeito da vida, cheguei a uma conclusão que me fez ganhar foco e correr atrás do que eu descobri que quero fazer da vida. Aí apareceu a oportunidade e eu a agarrei, e ela me agarrou e foi uma agarração do caralho.

Ambas – eu e a oportunidade – nos apaixonamos loucamente e vivemos uma intensa história durante meses. Mas talvez seja só paixão, creio que não seja uma relação baseada em bons alicerces; acho que eu vou terminar, apesar de naquela hora em que eu a encontrei ter sido um momento único e cósmico e sobrenatural. Mas talvez a vida ainda me reserve muitos e muitos mais momentos únicos e cósmicos e sobrenaturais.

4-
Olhava sempre pra cara daquele indivíduo todos os dias como qualquer outro dia, qualquer outro cara. E aí um dia passei a olhar diferente – com afeto. Porém, continuei olhando para dentro de mim da mesma forma – com desprezo.

E foi assim, com o desprezo sentido por mim mesma, que desprezei o cara por quem sentia afeição quando ele se declarou sentindo afeição por mim. Nunca, nunca vou saber como teria sido se sentisse a afeição  – que sentia por ele  – por mim.

Fim-
Não devo acreditar em lugar certo nem hora certa. Sentimento não é certo nem errado.

k

Anúncios