Ah, o carnevale. Multidões reunidas na maior suvaqueira em torno de música e cachaça. Uhuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu =|

Daqui a 9 meses, milhares de crianças nascendo. Acho que a maioria dos brasileiros nascem em outubro/novembro. Será que já fizeram um censo disso?

Bem. O meu carnaval foi parado exceto no sábado, quando fui a uma balada GLS (acho que eu era a única S no recinto), onde estive com pessoas reunidas em torno de música e cachaça e, por não ter ar condicionado, numa suvaqueira suportável. Acho que mantive bem minha dignidade, dançando axés antigos suando em bicas, com as calças já coladas no corpo, procurando ficar embaixo dos ventiladores e segurando lata de coca-cola – sim, porque minha fase etílica já passou há alguns anos.

Não consigo conceber aquelas pessoas espremidas atrás de trios elétricos ou blocos. Cara, É MUITA GENTE. Carnaval de rua é legal, mas assim é demais! As pessoas são levadas por aquela correnteza, não andam, são conduzidas pelo trio rs. Tipo, se o motorista do trio tem uma demência e resolve jogar o carro no mar, comete um genocídio, “só não vai quem morreu” =D (infame, eu sei).

E a televisão hããããããã??? Fiquei com vontade de ver os bailes gays na RedeTv mas perdi o dia, tive que assistir Nelson Rubens que deve ter batido o record de “OK OK!” e aquela estranha que apresenta o Dr Hollywood, que não sabe nem falar. A única coisa que me fez mijar de rir foi quando Nelson Rubens fez merchand dos Preservativos Gózzi hasuhsuahsuhauhsauhsuahshahsusahshshsuahsuahushaushashausauhsauhsuaha

k

Anúncios