“Quebro a cabeça, logo existo.”

– Sempre questionei TUDO.

– Quando criança, uma vez me disseram para curtir mais minha infância.

– Notívaga – injustiçada pela sociedade.

– Personalidade extremamente melancólica.

– Carente de amigos: – artistas – gays – intelectuais (mas que cheirem bem).

– Geminiana, ou seja, vou do êxtase à depressão, e depois ao êxtase, e novamente à depressão.

– Totalmente careta. Não preciso de drogas, já sou naturalmente paranóica e fico imaginando coisas absurdas 24/7.

– É difícil me sentir à vontade em baladas, apesar de gostar de ir.

– Escrevo desde os 11 anos e nunca consigo terminar minhas histórias, exceto por uma novela em que todos morrem no final.

Tenho milhares de qualidades, mas para ser diferente listarei meus defeitos, assim vocês não se decepcionam depois.

– Ranzinza

– Sarcasmo – that’s my middle name

– Pessimista

– Tenho inveja de pessoas que possuem algo que eu quero (tanto material como abstrato), mas sem desejar mal à ninguém.

– Viciada em desabafar – muitas vezes coisas que deveria guardar pra mim; muitas vezes para pessoas erradas

– Bicho do mato – infelizmente por causa disso me consideram altiva e presunçosa

– Tenho manias estranhas

– Preguiçosa (porém a mente 300 por hora)

– Acho que sou a única pessoa que conheço que gostava do grupo Meia Soquete, do qual Adriane Galisteu, ainda uma adolescente, fazia parte.

– Estou completamente viciada no programa Medalhão Persa.

Certa vez ouvi de um amigo que “Pior do que ser feio é ser esquisito”. Devo admitir, com pesar, que ele estava certo.

k (2005)

Anúncios