Hoje é 03/12/07.

Quero saber quanto tempo mais eu viverei com esse conflito interno.

Quando tiver acabado, eu posto (tipo, esse blog ficará suspenso até lá… rsrsrs nada a ver).

“Quem espera deveria viver”, como disse a outra.

É que dá preguiça, sabe? Procurar, e talz.

***************************************************************************

Iniciam-se as minhas férias, mas ainda tenho provas na faculdade… uma merda. Ainda bem que só restam mais duas provas… e aí ja era, vamos curtir o verão!!!

Mas como curtir sem gastar? Sem alguém prá fazer um sexo casual? Droga.

Preciso ir nos médicos também, ver como eu estou internamente, órgãos, fluidos corporais e tudo, e tal.

E O DINHEIRO, MEU DEUS??? Estou passando por uma fase mão-de-vaca.

E O SEXO, MEU DEUS???

***************************************************************************

Ultimamente venho pensando sobre o meu papel nesse mundo.

Tá bom, confesso, esse pensamento existe há uns bons 15 anos, pelo menos.

Sou uma pessoa que deixa as outras felizes, boazinha, engraçada, etc. Mas reparei que não faço muita coisa no intuito de ME fazer sentir bem. Parece que eu tenho esse prazer masoquista de me boicotar.

Todos, e tudo o que eles fazem, são melhores que eu e o que eu faço. Se, por exemplo, algo dá errado, eu sempre me culpo, mesmo sabendo que a culpa não é minha.

Se alguém me faz de otária e depois fala que a culpa é minha, eu acredito.

Quer dizer, hoje, eu penso duas vezes sobre isso. Mas passei alguns anos da minha vida acreditando que a culpa por um relacionamento ridículo ter dado errado era minha.

Bom, graças a Deus que do relacionamento eu me livrei. Do auto-boicote ainda não, mas quem sabe um dia?

Meu grande problema é esperar por “esses dias”, nos quais a gente olha prá trás e pensa “Nossa, passou! Não sinto mais nada!”. A gente fica querendo tanto que esses dias cheguem, que passamos o tempo sonhando que eles chegaram e não fazemos mais nada. Que absuuuuuuurdo.

Tá, eu sei, “quem espera deveria viver”, como disse a outra, mas é difícil.

É difícil esperar pelo dia em que não existirá a auto-sabotagem. E que “aquilo lá” terá morrido.

Mas beleza, viveremos até então. É o início da campanha PARE DE SE BOICOTAR. Demorou.

k

Anúncios