Flor amarela úmida de orvalho

Move-se lentamente com a brisa fria

No dia que amanhece

O céu anil pincelado de vermelho e laranja

E amarelo, e a flor amarela

E a brisa, e o orvalho

E a manhã fria

E a tarde, e a noite, e a vida inteira.

A vida passa lenta para quem espera

O sol nasce com preguiça,

e as plantas quase não se movem

A gente anda devagar, a divagar, refletindo sobre o lento tempo.

Para a flor amarela não existe tempo

Para ela é apenas vida

A vida que acontece agora

E as mudanças que ocorrem diárias, mensais, anuais

Para a flor serão sempre inéditas

Porque, para a flor, não existe tempo

É apenas vida.

Quem espera deveria viver.

k

Anúncios