(Edinei é uma garota legal, honesta, limpa, inteligente, que às vezes é possuída pelo demônio e faz coisas que não gostaria de fazer)

Como tem gente ridícula nesse mundo. Não me conformo.

Tem uma menina da faculdade, da minha sala. Nunca nos falamos, a sala tem muita gente e eu não sou de falar com estranhos mesmo. Não que ela seja uma desconhecida, mas…

Enfim, e estranha ela é mesmo, no sentido de ser esquisita.

Quer dizer, ao meu ver ela é estranha, pode ser que ache o mesmo de mim. Ai, enfim!

Aí ontem ela veio falar comigo. Já fez uma faculdade, tem 29 anos, e só por causa disso achou que tinha que me dar conselhos. Eu disse que não sabia direito se queria exercer a profissão, que queria deixar as coisas rolarem, que a vida era minha e que naturalmente eu iria decidir o que fazer quando terminasse o curso. Ela começou a falar um monte do nada! Que eu não amava a profissão que eu escolhi pra estudar, que eu tinha que fazer isso e aquilo. Desembestou a falar e não parava mais.

Sabe essas pessoas que falam, param, aí começam a resmungar, falam mais um pouco, param, resmungam e voltam a falar? Você acha que finalmente o discurso acabou, mas vem mais merda de novo? Eu não ouvia mais nada, não acreditei que tava levando sermão de uma qualquer que se achava. Procurei pensar em outras coisas mais agradáveis.

Não me lembro direito como aconteceu. Quando percebi, ela estava correndo e gritando pelo corredor. Minha amiga me disse que eu bati na menina, na cara. Ela quis arrancar um fio de cabelo branco que eu tenho, e eu dei um puta tapa na cara dela.

Reflexo! Bem feito! Não me conhece e quer vir apavorando? Fala sério. Sai fora, sua estranha!

Anúncios